Fragmentos de Poesia
Poesia faz o meu canto...os sonhos são o meu suporte...na poesia enxugo meu pranto...enquanto procuro meu Norte...
23 de Novembro de 2009

È uma ave de Condor, ou anjo? Naquele céu…
Funde-se nas nuvens que adentram ao léu.
 
Esguio meu olhar, confunde-se com o teu,
E as amarras que envergo aqui no meu eu.
 
São pingos que banham, meus sóis minha escalada,
Onde a tortura humana corrói-me e enfada.
 
Neste paradigma, etérea lágrima desceu,
E beijando meus lábios, de rubro, tremeu.
 
Correu para o rio, correu para o mar e calma,
Fundiu-se co’a maré levando até…minh’alma.
 
Laivos de dor,  ecoam  bem lá muito ao longe,
Couraças imponentes, ou ordens de monge.
 
Do alto da colina, sobrepõem a dor,
Cospem balas, canhões, em nome do Senhor!
 
Copiosa, desce a lágrima no rosto meu,
Desce a escarpa alva e turva, e pura como breu.
 
As teias do ouriço, iludem pessoas
Que alheias a tudo isso, espalham-se, nas boas.
 
E a lágrima de Condor, sem amarras, voou…
Com olhar de esperança, foi e não voltou.
 
Dai-me um porvir de mais Esperança ó meu Senhor!
Deixa-me sorrir…sorrir…num Mundo melhor!
 
Cecília Rodrigues
publicado por Cecilia Rodrigues às 18:20 link do post
badge
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
Posts mais comentados
5 comentários
1 cometário
1 cometário
mais sobre mim
blogs SAPO